MINISTÉRIO DA INFRAESTRUTURA PROTOCOLA NO TCU PROJETOS DE CONCESSÃO DE DOIS TERMINAIS PORTUÁRIOS DE SANTOS

MINISTÉRIO DA INFRAESTRUTURA PROTOCOLA NO TCU PROJETOS DE CONCESSÃO DE DOIS TERMINAIS PORTUÁRIOS DE SANTOS

MINISTÉRIO DA INFRAESTRUTURA PROTOCOLA NO TCU PROJETOS DE CONCESSÃO DE DOIS TERMINAIS PORTUÁRIOS DE SANTOS


FONTE: INFORMATIVO DOS PORTOS – CADERNO: DESTAQUES – DATA : 09.11.2020


O Ministério da Infraestrutura (MInfra) protocolou, na sexta-feira (06), no Tribunal de Contas da
União (TCU), os estudos relativos aos projetos de arrendamento das áreas STS08 e STS08A, no
Porto de Santos, em São Paulo. O arrendamento das duas áreas, voltadas ao armazenamento de
granéis líquidos (combustíveis), somam investimentos de cerca de R$ 1,06 bilhão. Esta será a
maior licitação portuária realizada nos últimos 15 anos. O vencedor administrará os terminais pelo
período de 25 anos.
A aprovação pelo TCU é a última etapa antes da publicação do edital de concessão, que pode
ocorrer já no 1o trimestre de 2021, com realização do leilão no 2o trimestre. O ministro da
Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, reforça o otimismo em relação à disputa. “A licitação
dessa área será um grande marco, pois se trata do maior leilão da história do setor portuário em
termos de investimentos. Os ativos têm atratividade para o investidor, que vem demonstrando
grande interesse nas áreas”, explica. “Nossa preocupação é garantir a ampliação da infraestrutura
de logística para assegurar o aumento da capacidade de operação”, completa.
A capacidade para movimentação de graneis líquidos no Porto de Santos é deficitária e admite
ampliação para atendimento ao crescimento da demanda. No projeto, estão previstos
modernização, aumento de capacidade dos terminais e construção de um novo píer com dois
berços de atracação.
TERMINAIS
Atualmente, a área é operada pela Transpetro, subsidiária da Petrobras responsável por parte do
escoamento da produção das refinarias paulistas, assim como pela distribuição de parte do Gás
Liquefeito de Petróleo (GLP) da região Sudeste.
Os dois terminais possuem área total de 443 mil m2, sendo 137,3 mil m2 pertencentes ao STS08 e
305,6 mil m2 pertencentes ao STS08A. Essas áreas atuam como reguladores do estoque da
produção de derivados da Petrobras, realizando atividades como: transferência e recebimento de
produtos de embarcações, abastecimento de bunker nas embarcações atracadas no Complexo,
embarque dos produtos das refinarias e envio de GLP para as empresas distribuidoras localizadas
na Região Sudeste e Centro Oeste.